Cooperativas debatem desafios e estratégias para o Ramo Habitacional

O Sistema OCB-RJ /Sescoop-RJ promoveu no dia 17 de outubro, em sua sede, o Encontro Técnico do Ramo Habitacional. O objetivo foi discutir oportunidades e necessidades do segmento, gerando informações para o desenvolvimento de um plano de trabalho que agregue as cooperativas na busca de ideias e soluções conjuntas.

Veja a galeria de fotos.

Coube ao vice-presidente da OCB/RJ, Dr. Carlos Alberto dos Santos Pêgo, dar início ao evento. Representando o presidente da instituição, Vinicius Mesquita, Dr. Pêgo citou a nova sede da instituição como o pontapé inicial da Gestão de Inovação para a valorização do cooperativismo fluminense.

“Ao assumirmos a direção da Casa, dissemos que o nosso objetivo seria de fazer da OCB/RJ e do Sescoop/RJ, instituições reconhecidas pela sociedade. Para isso, o primeiro passo foi encontrar um novo espaço, com mais visibilidade. E essa mudança de percepção das pessoas já é nítida. Cito as visitas de dois candidatos ao governo do estado do Rio de Janeiro. Eles ficaram encantados com a nossa estrutura e interessados em contar com o cooperativismo para o desenvolvimento socioeconômico fluminense. Estamos aqui para lutar e trabalhar por nossas cooperativas”, disse.

Presente à abertura, o secretário de finanças da OCB/RJ, Ildecir Sias, afirmou que as cooperativas também são empresas e precisam de resultados para se manterem no mercado.

“Certa vez disse em um evento que o cooperativismo também visa ao lucro. Muitos não concordaram por eu ter usado este termo. As sobras nada mais são do que lucros que a cooperativa obtém e repassa aos cooperados que precisam, sim, de dinheiro no bolso para sustentarem suas famílias. Mas para alcançar este objetivo, é preciso ir até a ponta e entender a realidade dos nossos clientes e trazer mais cooperativas para a OCB/RJ, a fim de construirmos um segmento economicamente sustentável.”, explicou Sias.

Representante estadual do Ramo Habitacional e presidente da cooperativa Chave Real, Afonso de Souza Filho falou em desafios, oportunidades de intercooperação e divulgação das ações.

“O mercado imobiliário sofre hoje uma grande recessão. E o cooperativismo é a alternativa para que o país se desenvolva. Para alcançarmos esta excelência, temos que demonstrar a nossa credibilidade, reforçando a divulgação do segmento. Lembro que há anos tínhamos mais de 170 cooperativas habitacionais no estado do Rio de Janeiro. Hoje o número não chega a 20. É preciso criar novas oportunidades, constituindo cooperativas para os diversos setores da economia e que todas se conheçam e façam negócios entre si”, destacou.

Programação

Durante o Encontro, dirigentes de cooperativas habitacionais expuseram as suas realidades e percepções referentes ao mercado.

Na programação, também houve espaço para um debate em que os participantes compartilharam soluções para problemas enfrentados pelo Ramo. Todos foram unânimes ao afirmar que instituições que se intitulam  cooperativistas e aplicam golpes na praça, arranham a imagem de cooperativas sérias. A proposta apresentada foi combater este tipo de ação criando estratégias que demonstrem a credibilidade das habitacionais,  reforçando seu papel de viabilizar moradias, com preço justo e abaixo do mercado.

Corpo Técnico

Pelo Sistema OCB-RJ/Sescoop-RJ estiveram a gerente geral, Jerusa Marques, o assessor parlamentar e institucional, Luiz Carlos Costa, o coordenador interino de monitoramento, Thiago Sartori, e os analistas do setor, Willian Azevedo, Silvio Camargo e Márcio Fernandes.

Reportagem: Bruno Oliveira – Comunicação do Sistema OCB/RJ

Bruno Oliveira

Bruno Oliveira

Analista de Comunicação do Sistema OCB/RJ. Formado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte, MBA em Marketing e Comunicação Empresarial e em Comunicação e Marketing em Mídias Digitais.