Encontro apresenta resultados alcançados pelo Cooperjovem no Rio de Janeiro

Cerca de 150 professores das cidades de Campos dos Goytacazes, Carapebus, Bom Jesus do Itabapoana, São Francisco de Itabapoana, Mendes e Três Rios participaram, em 26 de outubro, do 2º Encontro Estadual do Cooperjovem. Veja as fotos.Durante o evento, promovido pelo Instituto Sicoob e com o patrocínio do Sescoop/RJ, os docentes vivenciaram a cooperação, o voluntariado, a solidariedade e a responsabilidade social.

Reunidos com o interesse de difundir a cultura cooperativista e promover o desenvolvimento educacional, os profissionais compartilharam os resultados já alcançados pelo Programa Cooperjovem nas cidades fluminenses e fizeram uma reflexão sobre como as práticas de ensino dos colegas remetiam ao seu cotidiano em sala de aula.

Durante a abertura, o presidente do Sicoob Central Rio, Luiz Antônio Araújo, reforçou que “o caminho para disseminar a filosofia cooperativista é promover o incentivo e à educação. Ver os resultados mostram que o segmento está no caminho certo”.

O secretário de finanças da OCB/RJ, Ildecir Sias, representou o presidente do Sistema OCB/RJ, Vinicius Mesquita, e elogiou as boas iniciativas feitas nas escolas que adotaram o Cooperjovem: “Os professores estão de parabéns. É gratificante ver crianças aprendendo desde cedo – assim como os pais – valores, como a solidariedade e a ajuda mútua. Nós, do Sescoop/RJ, nos sentimos no dever de ampliar cada vez mais essa iniciativa que vem mudando a vida de diversas comunidades escolares”, comentou.

Dezoito Projetos Educacionais Cooperativos (PECs) foram apresentados ao longo do Encontro. O professor Max Gomes, da Escola Municipal Seraphina de Oliveira Fragoso – de Carapebus – falou do “Cooperação Alimentar”, construído com o objetivo de sensibilizar os alunos a terem hábitos alimentares mais saudáveis.

“Mostramos que produtos mais gordurosos, como biscoitos e refrigerantes, por exemplo, saem mais caros que frutas e legumes. A partir daí, tanto alunos quanto os pais e responsáveis adotaram nossa iniciativa, participando da construção da horta comunitária. O que vemos é que isso mudou a vida de todos significativamente”, afirmou o professor.

Na Escola Municipal Amélia de Lima e Silva, da cidade de Mendes, no Sul Fluminense, a equipe produziu o projeto “Família e Escola plantando a semente do Cooperado”. De acordo com a professora Thaís Dubley, a instituição estava com poucos alunos e prestes a fechar as portas.

“O que propomos foi trazer os pais para dentro da vida da escola. Fizemos ações como o balcão de empregos – visto que muitos pais estavam desempregados – bazar solidário, jogos cooperativos e parceria com o Programa Saúde da Família. Por fim, tivemos os pais participando ativamente da pintura dos muros da nossa escola e querendo estar inseridos em outras ações. O Cooperjovem mudou a realidade, com pais muito mais presentes e com uma comunidade que defende a nossa unidade”, findou.

O superintendente do Instituto Sicoob, Luiz Edson Feltrin, e a secretária de educação, esporte e lazer de Bom Jesus do Itabapoana, Maria Angélica Fonseca Nunes, também estiveram presentes.

Outros momentos

O Encontro contou também com as palestras “Ecos da Aprendizagem” – da diretora do Instituto Inspirare, Anna Penido, que tem focado seus projetos em inovação na educação, defendendo a participação dos alunos nos processos de ensino – e “Como Construir Pontes e Aprendizagem”, ministrada pelo educador português José Pacheco,  coordenador da Escola da Ponte – tradicional por não separar os alunos em séries, ciclos, turmas, anos, manuais, testes e aulas e sim por interesses comuns para desenvolver projetos de pesquisa.

Ainda no evento, os participantes puderam participar de quatro Oficinas que apresentaram ferramentas cooperativas que podem ser utilizadas na prática.

Na da Escuta foi criado um espaço de contato mais profundo dos participantes com eles mesmos e os outros para que sejam capazes de lidar com o imprevisto, o erro e a adversidade. Já na de Comunicação Não-Violenta foram desenvolvidas competências relacionadas a uma comunicação verdadeira, promovendo ambientes de cooperação.

A Oficina de Jogos Cooperativos mostrou a competição e a cooperação como processos sociais e valores humanos presentes nos desafios do cotidiano, enquanto a da Palavra Encantatória apresentou jogos práticos a fim de encontrar o tom mais adequado entre serenidade e descontrole.

Reportagem: Richard Hollanda – Comunicação Sistema OCB/RJ

 

Richard Hollanda

Richard Hollanda

Analista de Comunicação e Tecnologia do Sistema OCB/RJ. Graduado em Jornalismo pela Universidade Veiga de Almeida (UVA) e pós-graduado em Administração em Marketing e Comunicação Empresarial pela UVA.