Superintendente do Sescoop/RJ, Abdul Nasser, explica em live do Hacking Rio como o cooperativismo pode contribuir para a erradicação da pobreza

O Hacking.Rio 2021, a maior maratona de programação de desenvolvimento de soluções digitais inovadoras da América Latina, e que será realizado de 15 a 17 de outubro, com patrocínio do Sistema OCB/RJ, iniciou na noite da última quinta-feira (12/8) a temporada de lives temáticas relativas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.

Na transmissão, conduzida pela CEO Ions & Hacking.Rio, Lindália Junqueira,  foram debatidos os ODS 1 (Erradicação da Pobreza) e 2 (Fome Zero e Agricultura Sustentável). O superintendente do Sescoop/RJ, Abdul Nasser, foi um dos convidados e destacou como o cooperativismo pode contribuir para a geração de renda e oportunidades, por ser um modelo que busca democracia econômica e justiça distributiva.

“O cooperativismo não é capitalismo, comunismo ou socialismo. É um sistema diferente, pois não busca concentrar riqueza ou estatizá-la nas mãos de poucos. É um modelo que busca correção do social pelo econômico, fazendo com o que os trabalhadores consigam realizar atividades em conjunto.  Não há lucro, já que toda a operação é baseada na distribuição do resultado na proporção de produção de cada um. Não tem essa do capitalista que recebe sem produzir. É um modelo justo. O cooperativismo coloca o capital a serviço da humanidade, enquanto outros modelos colocam a humanidade a serviço do capital. Essa é a grande diferença. Erradicar a pobreza é criar condições para as próprias comunidades constituírem suas próprias cooperativas para gerar renda e oportunidade local”, explica Abdul, trazendo um exemplo.

“ O Sicoob é um exemplo interessante de distribuição de riqueza do sistema financeiro e garantia de liberdade. Só vai ser livre num mercado que tem 70% de concentração bancária quem for dono da instituição, ter direito de votar e ser votado. Quando você cria seu próprio banco e não tem interesse de lucrar, mas de distribuir, as sobras voltam para você e para a comunidade onde você atua. O Sicoob demonstra como mudar nossa vida e nossa comunidade na questão da erradicação da pobreza e geração de renda”, completa.

Abdul também enfatizou que não adianta constituir uma cooperativa de qualquer maneira. É preciso fazer um estudo de viabilidade.

“Os negócios cooperativistas necessitam de viabilidade econômica, a fim de oferecer produtos e serviços com valor agregado”, pontuou.

Também participou do evento o Country Manager Brazil da BOMA Global, Marco Brandão.

Agenda

Na próxima quinta-feira (19/8) o Hacking Rio vai debater as ODS 3 (Saúde e Bem-Estar) e 4 (Educação de Qualidade). A transmissão será pelos canais do evento no Instagram, Facebook e Youtube.

Hacking Rio

O Hacking.Rio, considerado o maior hackathon da América Latina, é mais do que um evento, é um movimento de impacto social, educacional, transformando vidas de verdade, e agora chega na sua 4ª edição.

Iniciou em 2018, com o propósito de inspirar que mais pessoas queiram aprender as novas tecnologias e ferramentas digitais, empreender e criar soluções que resolvam problemas reais da sociedade e do mercado.

Saiba mais em https://hackingrio.com/

 

Bruno Oliveira

Bruno Oliveira

Analista de Comunicação do Sistema OCB/RJ. Formado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte, MBA em Marketing e Comunicação Empresarial e em Comunicação e Marketing em Mídias Digitais.