Sistema OCB/RJ e Econges desenvolvem software voltado para a gestão das cooperativas

Inovação é uma das diretrizes do Sistema OCB/RJ antes mesmo de esse tema ser estabelecido como prioritário no último Congresso Brasileiro de Cooperativismo, realizado em 2019.

Reflexos dessa estratégia estão em pauta na Casa do Cooperativismo Fluminense desde 2018. Desde então, o Sistema OCB/RJ desenvolve uma série de compromissos que fomentam a inovação tecnológica, fazendo com que as cooperativas passem a ter mais atuação no digital, a fim de alcançarem mais oportunidades de negócios.

E o mais novo projeto foi apresentado na última quinta-feira (7/10) em reunião virtual com mais de 50 dirigentes do cooperativismo do estado do Rio de Janeiro. Trata-se do software Rio Mais Coop – ainda em fase de testes – desenvolvido em parceria com a Cooperativa de Trabalho dos Especialistas em Consultoria e Gestão (Econges).

A ferramenta vai oferecer às cooperativas fluminenses a possibilidade de elas inserirem as informações documentais, societárias, administrativas e financeiras num único ambiente, facilitando o acesso e conhecimento por parte dos cooperados. Além disso, permitirá a automação do processo de convocação de Assembleias; lavratura de atas; emissão de documentos de admissão, demissão, exclusão e eliminação, matrícula e controle de quotas; dentre muitas outras funcionalidades totalmente pensadas para gerar a relação com o sócio.

Outra funcionalidade será facilitar o mapeamento dos dados das cooperativas para preenchimento do SouCoop – plataforma criada pelo Sistema OCB e que unifica todas as informações do cooperativismo em tempo real e de maneira eficaz. A ideia para o futuro é que haja integração entre o software Rio Mais Coop e o SouCoop, para que os dados sejam migrados automaticamente, assim como para as informações relativas ao Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas (PDGC).

Os cooperados poderão também, por meio do software Rio Mais Coop, se inscrever nos cursos e eventos promovidos pelo Sistema OCB/RJ.

Testes

Antes de ser apresentado, o software Rio Mais Coop foi testado em duas cooperativas educacionais fluminenses: na Escola Fribourg, de Nova Friburgo, e na Cooperativa Educacional César Almeida (Acec), do município de Angra dos Reis. O intuito foi observar pontos de melhorias e implementar novas funcionalidades, com base na experiência e dia a dia dos cooperados.

A segunda fase de testes terá duração de 6 a 8 meses, a partir do mês de outubro de 2021, e contará com 30 cooperativas selecionas na reunião de apresentação.

Crescimento

Na reunião, o presidente do Sistema OCB/RJ, Vinicius Mesquita, disse que o software Rio Mais Coop vai ao encontro de uma necessidade de mercado das cooperativas, e a parceria com a Econges, além de gerar viabilidade financeira, integra a visão de dores e funcionalidades que vinham sendo mapeadas por anos de convivência com cooperativas de todos os Ramos.

“Nosso propósito é construir um Rio+Coop e para isso estamos fazendo 20 anos em quatro, usando tecnologia, inovando, fazendo mais com menos, buscando aumentar a receita e reduzir custos das cooperativas e promovendo a intercooperação. Esperamos poder dar continuidade ao trabalho, já que o potencial de crescimento do cooperativismo do estado do Rio de Janeiro é enorme e foram anos de ostracismo e ineficiência do Sistema OCB-Sescoop-RJ, o que não se muda em tão pouco tempo. E tudo que já mudamos só foi possível pelo apoio e adesão de nossas cooperativas, de nossos diretores e conselheiros e de nossos funcionários cada vez mais comprometidos com esse propósito”, destacou o líder do Cooperativismo Fluminense.

Um dos idealizadores do software, o superintendente do Sistema OCB/RJ, Abdul Nasser, destacou como surgiu a parceria entre a instituição e a cooperativa Econges.

“A Econges tinha iniciado um protótipo de sistema com os mesmos fins e nós tínhamos um projeto mais detalhado de funcionalidades e dores que precisavam ser desenvolvidas. Encontramos uma convergência de propósitos capaz de viabilizar o projeto que pode ser chamado de audacioso, especialmente para uma entidade que também está iniciando sua própria transformação digital”, explicou Abdul.

Oportunidade

Muitos participantes do evento ficaram positivamente surpresos com a possibilidade de realizar reuniões e assembleias virtuais, emitir notificações, receber e guardas documentos, realizar enquetes e outras formas de comunicação fechada e segura com os sócios. Um deles foi o presidente da Graffiti Transers & Tours, Miqueias Zacarias.

“Será uma revolução para a cooperativa que trará competitividade, garantindo democracia, pois em poucos minutos todos os sócios poderão participar de um processo decisório simplificado por meio dessa ferramenta”

Bruno Oliveira

Bruno Oliveira

Analista de Comunicação do Sistema OCB/RJ. Formado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte, MBA em Marketing e Comunicação Empresarial e em Comunicação e Marketing em Mídias Digitais.