Projeto de Lei que cria a “Praça do Cooperativismo” é apresentado na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro

O Sistema OCB/RJ deu essa semana mais um passo importante para a consolidação e reconhecimento do cooperativismo como um segmento importante à sociedade. O presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo no Município do Rio de Janeiro, vereador Jorge Felippe, apresentou, a pedido da instituição, no dia 22 de fevereiro, o Projeto de Lei 1042/2022 para dar o nome de “Praça do Cooperativismo” ao largo localizado nas esquinas das Ruas da Assembleia e São José com a Avenida Presidente Antônio Carlos, e que fica em frente à nova sede do Sistema OCB/RJ – Rua da Assembleia 11, Centro/ RJ. A proposta, agora, segue para análise da comissão da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro.

A ideia do Sistema OCB/RJ é adotar o espaço e transformá-lo em um ambiente de lazer totalmente voltado a ações sociais que visem ao bem-estar da sociedade.

Segundo o vereador Jorge Felippe, a transformação do local em Praça do Cooperativismo é um presente ao modelo de negócios que tanto contribui de forma positiva para a cidade do Rio de Janeiro.

“O cooperativismo permite que as pessoas possam atender suas necessidades econômicas e sociais de modo mais justo e acessível. Dar o nome de Cooperativismo à praça é um marco para a cidade que tem esse modelo de negócios como uma das ferramentas municipais de desenvolvimento social e econômico. Em tempos de economia difícil, o cooperativismo sempre foi uma resposta aos anseios sociais”, destacou Jorge Felippe.

Para o presidente do Sistema OCB/RJ, Vinicius Mesquita, essa conquista vai deixar o cooperativismo cada vez mais presente na vida dos cariocas.

“Mais do que mudar o nome, temos projetos que vão envolver o bom uso do local. O cooperativismo tem um viés social muito importante, já que valoriza as pessoas e atua no bem-estar da sociedade. É isso que pretendemos realizar nesse espaço, além, obviamente, de que cuidaremos com muito carinho de cada detalhe da Praça, que será patrimônio de todos”, explicou Mesquita.

O superintendente do Sistema OCB/RJ, Abdul Nasser, é um dos entusiastas e idealizadores do projeto de transformação. Ele cita momentos históricos que fazem o cooperativismo merecer essa oportunidade de ter um local com nome e características que o identifiquem.

“O registro mais antigo de uma cooperativa brasileira que se pode verificar em documentos oficiais é datado de 26 de Abril de 1876, no Decreto nº 6186, assinado pela Princesa Isabel no gabinete do Paço Imperial. Portanto, a relação do Rio de Janeiro e mais especificamente daquela região com o cooperativismo brasileiro é antiga e merece ser eternizada”, explicou.

Bruno Oliveira

Bruno Oliveira

Analista de Comunicação do Sistema OCB/RJ. Formado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte, MBA em Marketing e Comunicação Empresarial e em Comunicação e Marketing em Mídias Digitais.