Futuro e desafios do SNCC foram debatidos no Concred

Mais de duas mil pessoas participaram das atividades do 12º Congresso Brasileiro do Cooperativismo de Crédito (Concred), realizado pela Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito (Confebras) e com o apoio do Sistema OCB, de 21 a 23 de novembro, em Florianópolis.

No dia 23/11, o superintendente do Sistema OCB, Renato Nobile, foi o moderador do painel Diretrizes Estratégicas do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC), realizada pelo coordenador do Conselho Consultivo do Ramo Crédito da OCB, Manfred Dasenbrock, que também preside o Sistema Sicredi, que discorreu, dentre outros assuntos, sobre os desafios do SNCC:

Competitividade: Que depende não só do desempenho do cooperativismo de crédito, mas também de uma série de fatores complexos externos e internos ao segmento, como a economia, os concorrentes, a regulação, a tecnologia, entre outros;

Legislação e regulação: Que é por si só um fator de competitividade, mas de tal importância e complexidade que merece destaque. Sua superação também depende de muitas variáveis que certamente podem ser influenciadas pelo SNCC, mas não são controladas por ele.

Comunicação: Que envolve divulgar os diferenciais do cooperativismo de crédito e usá-los em favor do segmento. Depende do empenho das próprias cooperativas e das instituições que as representam em tornar seus diferenciais mais conhecidos pelos atuais e potenciais associados, além da sociedade e formadores de opinião;

Governança e qualificação: Que está relacionado com os próprios esforços dos atores do SNCC (cooperativas, centrais, confederações, bancos, OCB, Sescoop e FGCoop). Considerando que a regulação tem um papel importante nesse contexto, cabe ao segmento implementar as medidas de governança e gestão que atendam aos padrões esperados e desejados de uma instituição financeira cooperativa;

Intercooperação: Que é um dos princípios mundiais do cooperativismo e uma das chaves para o sucesso de todo o segmento cooperativista. Intensificar parcerias e negócios entre cooperativas dos diversos ramos é uma prerrogativa do próprio segmento que, ao fazer isso, investe no próprio futuro;

Representação sindical: Que está em fortalecer as relações entre as cooperativas de crédito e seus colaboradores, que tanto contribuem para o sucesso do segmento, assunto que está dentro da esfera de ação do SNCC.

O público, considerado o maior da história do Concred, pôde acompanhar, ainda, o debate sobre a atuação dos principais sistemas do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC) como protagonistas do Mercado Financeiro. Participaram do painel Henrique Castilhano Vilares (presidente do Sistema Sicoob), João Carlos Spenthof (vice-presidente da SicrediPar), José Maria de Azevedo (presidente do Sistema Unicred), Cledir Assisio Magri (presidente do Sistema Cresol) e Moacir Krambeck (presidente da Central Ailos).

O FUTURO JÁ CHEGOU

Na arena Protagonismo e Sinergia, o superintendente do Sistema OCB, Renato Nobile, ministrou a palestra O futuro do cooperativismo se constrói agora. Ele discorreu sobre o movimento cooperativista do ontem, do hoje e de amanhã, abordando os grandes marcos históricos que mudaram, em todos os países, o jeito de pensar, planejar, produzir e consumir. Segundo ele, a inovação é um convite diário, feito às empresas.

“Desde a revolução industrial, passando pelo surgimento do cooperativismo há cerca de 200 anos, até o período atual, quando se vive a era da robótica, da automação e da inteligência artificial a palavra que move a humanidade é, sem dúvida, inovação. Não podemos mais continuar fazendo as mesmas coisas do mesmo jeito. O consumidor quer ter a certeza de levar para casa opções que impactam positivamente tanto a sociedade quanto o meio ambiente. Eles não querem mais um produto ou serviço, simplesmente. Querem fazer parte de um ciclo de consumo responsável e ético, especialmente onde todo mundo ganha. E isso é o que o cooperativismo faz”, enfatizou o superintendente.

Fonte: Sistema OCB

Bruno Oliveira

Bruno Oliveira

Analista de Comunicação do Sistema OCB/RJ. Formado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte, MBA em Marketing e Comunicação Empresarial e em Comunicação e Marketing em Mídias Digitais.