Covid-19: Sistema OCB/RJ participa de videoconferência para discutir logística de aquisição de frutas, verduras e legumes e escoamento de leite in natura no estado

O presidente do Sistema OCB/RJ, Vinicius Mesquita, e o superintendente do Sescoop/RJ, Abdul Nasser, participaram nesta quinta-feira (2/4) de uma videoconferência com os superintendentes estaduais Felipe Cáceres (Indústria, Comércio, Serviços e Ambiente de Negócios, da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Relações Internacionais (SEDEERI)) e Adriano Lopes (Políticas Agrícolas e Agrárias, da a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento (SEAPPA)).

Em pauta, a crise causada pela pandemia do coronavírus, em relação à logística de aquisição de frutas, legumes e verduras (FLV) pelos supermercados e às dificuldades que produtores de leite no estado do Rio de Janeiro estão encontrando para o escoamento de leite in natura.

O debate contou ainda com o presidente da Cooperativa Agropecuária de Barra Mansa, Cláudio Meirelles, e com os assessores institucionais Pedro Paulo Pannunzio (Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro) e Julio Dalmaso (OCB/RJ).

O tema da aquisição de gêneros alimentícios hortifrutigranjeiros foi pontuado pela ASSERJ, que solicitou maior centralização da logística e garantia de produtos por parte dos produtores estaduais para que os supermercados possam garantir as compras regionalmente.

Em resposta, a SEAPPA sinalizou que a ASSERJ oriente os supermercados a procurarem galpões da CEASA como fontes dos produtores do estado, destacando que o galpão 30 é voltado inteiramente para a produção de agricultura familiar ou de pequenos produtores, como cooperativas, por exemplo.

A segunda pauta tratou sobre a informação de que produtores do Rio de Janeiro estariam com dificuldade de escoamento de leite in natura.

Tanto a ASSERJ quando a Coopbama também sinalizaram que a dificuldade maior dos produtores está no escoamento da produção de alimentos refrigerados (queijos, leite barriga mole, iogurte, por exemplo), pois boa parte desses produtos era adquirida por restaurantes e panificadoras, e que agora, com a demanda apenas de delivery dos estabelecimentos que conseguiram se adequar, há dificuldades sendo criadas em torno do consumo desses produtos.

A Coopbama sinalizou que está à disposição para receber o leite de produtores em dificuldades. Também foi pontuada, durante a reunião, a possibilidade de envio para a Cooperativa de Macuco para a produção de leite em pó, caso seja necessário.

Ao final da videoconferência, foram definidos alguns desdobramentos. O Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Rio de Janeiro (OCB/RJ) em parceria com o Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do Estado do Rio de Janeiro (Sindlat) realizarão um mapeamento para verificar gargalos no escoamento da produção de leite in natura e laticínios refrigerados.

Além disso, a SEAAPA recomendou à ASSERJ que procurasse os produtores hortifrutigranjeiros, na CEASA, no sentido de garantir que as compras sejam feitas de produtores do Rio de Janeiro. Em relação a esse ponto, existe a possibilidade de parceria com cooperativas de carga que operam no Rio de Janeiro com caminhões refrigerados para atender demandas locais se for necessário.

Por fim, a SEDEERI e a Secretaria Estadual de Educação (SEEDUC) devem marcar uma reunião para discutir as aquisições de alimentos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), garantindo que as produções locais/regionais continuem atendendo tanto aos produtores quanto às famílias de estudantes da rede pública estadual e municipal.

Richard Hollanda

Richard Hollanda

Analista de Comunicação e Tecnologia do Sistema OCB/RJ. Graduado em Jornalismo pela Universidade Veiga de Almeida (UVA) e pós-graduado em Administração em Marketing e Comunicação Empresarial pela UVA.