Live Novembro Azul reforça importância da prevenção ao câncer de próstata

Cuidar da saúde também é coisa de homem! E para reforçar esta mensagem, o Sistema OCB/RJ realizou no dia 23/11, em seu Canal do Youtube, a live Novembro Azul (Assista aqui) A proposta foi alertar e conscientizar sobre a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de próstata, uma das doenças que mais afetam a população masculina.

A transmissão contou com as participações do Dr. Sebastião Barbosa – médico urologista e diretor-presidente da Unimed Centro Sul Fluminense; do Dr. Leonardo Figueiredo – médico atuante em Urologia Oncológica, representando a Unimed Petrópolis; de Carolina Machado – nutricionista especializada em Oncologia;  e de Jociane Coutinho – mestra em Bioética, psicóloga hospitalar e presidente da Cooperativa Unifop.

Esta foi mais uma etapa do Projeto Laços da Laços da Cooperação – desenvolvido pelo Sistema OCB/RJ em parceria com seu Comitê Gestor de Gênero Dona Terezita – que a cada mês, com cores e temas diferentes, aborda assuntos para conscientizar a população sobre questões ligadas à saúde.

Na abertura, o presidente do Sistema OCB/RJ, Vinicius Mesquita, citou o Interesse pela Comunidade – 7ª princípio do Cooperativismo – como um dos pilares para que a instituição realize lives voltadas à saúde e à qualidade de vida.

“Desde o mês de agosto temos realizado encontros virtuais com o propósito de debater temas que possam impactar na vida das pessoas. Já falamos de prevenção ao suicídio, de aleitamento materno, de câncer de mama e desta vez, o câncer de próstata. É importante que os homens façam a sua parte. Cuidar da saúde é uma obrigação de todos. É uma forma de demonstrar amor a si e à família. É importante deixar esta mensagem”, disse o líder do cooperativismo fluminense.

O primeiro convidado a falar foi o Dr. Sebastião Barbosa, médico urologista há mais de 40 anos. Ele fez um alerta em relação a muitas pessoas acharem que somente no mês de novembro, por conta da campanha de prevenção ao câncer de próstata, que deve ser feito o exame de toque ou ter todos os cuidados para prevenir a doença.

“O Novembro Azul foi criado para reavivar a atenção relativa ao câncer de próstata e conscientizar os homens a fazerem o exame. Mas esse cuidado e essa consciência devem ocorrer durante todo o ano. É importante que os homens criem uma rotina e façam este acompanhamento”, ressaltou Dr. Sebastião, que também fez um alerta.

“ A pandemia do coronavírus provocou um isolamento social e afastou os pacientes dos consultórios. Muitos casos, que seriam diagnosticados, não foram possíveis justamente por conta desta necessidade de afastamento. É importante que aqueles que sempre tiveram a rotina de fazer o exame e de se consultar, retornem aos consultórios, e os demais que nunca fizeram, ou não têm o hábito, se conscientizem em relação à necessidade. Antes da década de 1990 era muito difícil o diagnóstico do câncer de próstata. Quando se descobria, o paciente já estava em estágio muito avançado da doença. Hoje, com o avanço da medicina, o diagnóstico pode ser feito logo no início, o que aumenta consideravelmente as chances de cura”, frisou.

Em sua apresentação, o Dr. Leonardo Figueiredo explicou o que é a próstata e sua função, abordou os fatores de risco para o câncer de próstata (idade, histórico familiar, obesidade), os sinais e sintomas da doença, a importância do exame de toque para diagnóstico precoce e os tratamentos.

De acordo com a nutricionista Carolina Machado, quando se fala em prevenção de qualquer doença, é fundamental citar a nutrição.

“Os hábitos alimentares são importantes para as pessoas viverem com saúde. E infelizmente nesta pandemia algumas estão optando por alimentos industrializados, ultraprocessados, ou enlatados, pois querem praticidade. Mas vale ressaltar que quanto mais nutrientes e fibras tiverem os alimentos, mais eficazes serão na prevenção não apenas do câncer de próstata, mas de qualquer enfermidade. E a  nutrição não é essencial apenas para prevenir, mas também no tratamento das doenças, porque em caso de perda radical de massa magra, a recuperação do paciente fica prejudicada. Os bons hábitos alimentares fazem parte também desta etapa”, explicou Carolina Machado, que atua no Hospital da Unimed Petrópolis.

De acordo com a psicóloga hospitalar Jociane Coutinho, a prevenção ao câncer de próstata passa também pela questão cultural.

“Vivemos em uma realidade de trabalhar com o problema já instalado. Muitos homens procuram um acompanhamento quando a doença  está em um estágio avançado. É necessário inverter esta lógica e reforçar a prevenção e não apenas atuar no controle dos danos. Outro ponto também que afasta os homens do exame de toque é a questão da sexualidade.  Nossa sociedade é muito machista. E diversos homens têm o pensamento de que isso fere a sua masculinidade, a sua potência. Muitos se veem como super-heróis, poderosos. Mas isso é um grande erro, porque eles tiram deles mesmos a questão de se prevenir e de se cuidar”, pontuou Jociane.

Bruno Oliveira

Bruno Oliveira

Analista de Comunicação do Sistema OCB/RJ. Formado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte, MBA em Marketing e Comunicação Empresarial e em Comunicação e Marketing em Mídias Digitais.