Cooperativismo é debatido no Hacking.Rio Talks

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O presidente do Sistema OCB/RJ, Vinicius Mesquita, e o superintendente do Sescoop/RJ, Abdul Nasser participaram na quinta-feira, 20 de agosto, do Hacking.Rio Talks, no painel “Cooperativismo: novo modelo organizacional”, que abordou a importância do segmento para economia mundial, o coopertivismo de plataforma e as perspectivas de crescimento do modelo econômico a partir de agora. Junto a eles, esteve o superintendente de Marketing e Produtos da Seguros Unimed, Henrique João Dias.

O evento online de palestras começou na última segunda-feira, dia 17, e reúne 130 speakers de 15 países e 5 continentes, levando como tema principal o conceito “Humanicity” e abordará assuntos como inovação, tecnologia, empreendedorismo, soluções geradas para combate aos efeitos da pandemia do covid-19 e o cenário atual da Nova Economia.

Uma dos pontos abordados durante o debate foi a de que o modelo cooperativista é um segmento viável para o desenvolvimento da economia, independente do nível social. “É possível promover negócios cooperativistas em diversos segmentos econômicos. No Brasil, por exemplo, temos cooperativas de práticos, no Pará, e cooperativas de pilotos de avião, em São Paulo. O que se vê é que é possível promover o desenvolvimento e a justiça social”, afirmou Vinicius.

E com a pandemia, a digitalização do mundo, que já estava grande, aumentou ainda mais. E o cooperativismo de plataforma pode ser um caminho de crescimento para as fintechs, por exemplo. É o que pontuou o superintendente do Sescoop/RJ, Abdul Nasser. “Pelo mundo já temos exemplos de grupos que, em busca de manter seus propóstitos por meio das plataformas, têm se juntado por meio do cooperativismo.Cada vez mais essas oportunidades têm surgido e no Brasil se tem um grande potencial “, disse.

Por fim, o superintendente da Seguros Unimed, Henrique João Dias, pontuou a questão de que o cooperativismo é a união de pessoas com mesmos ideais e que buscam compartilhar seus propósitos para um bem comum. “Hoje, as pessoas estão dando muito valor à vida e aos seus objetivos. Portanto, a sociedade está avançado para esse ideal e o cooperativismo é o modelo econômico que é a essência disso”, finalizou.

Hacking.Rio 2020

O maior hackathon da América Latina acontecerá de forma online este ano do dia 9 a 11 de outubro com mais de 20 clusters, como: saúde, educação, empregabilidade, assistência social e logística. Serão 42 horas de evento em que os participantes terão acesso a mentorias e conteúdos educacionais exclusivos para aperfeiçoar as iniciativas até a entrega de um Mínimo Produto Viável (MVP). Os vencedores receberão premiações em dinheiro e terão a oportunidade de suas iniciativas aceleradas após o evento.

A edição 2020 terá diversos hackathons inéditos, como o da Longevidade que receberá inscrições apenas de participantes acima de 40 anos que nunca participaram de um evento semelhante. Terão a primeira edição este ano também o Cervathon, voltado para produtores de cerveja, o Carnaval 4.0, o Cannabis Tech, cluster voltado para o desenvolvimento de tecnologias da área de saúde e produção agrícola e o Hackathon de Masters para hackers experientes que já participaram e venceram maratonas de programação. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas no site: https://hackingrio.com/

Sobre o Hacking.Rio

O Hacking.Rio é o maior Hackathon da América Latina e festival de cultura digital, onde reúne especialistas em negócios para pensar, debater e gerar soluções de alto impacto para problemas reais enfrentados pela sociedade em pelo menos 15 clusters setoriais, áreas como educação, mobilidade, saúde, turismo, energia, economia criativa, sustentabilidade entre outros.

Mais de mil desenvolvedores, programadores, designers, especialistas em marketing digital e empreendedores se inscrevem anualmente para participar de 42 horas de maratona e desenvolvimento de novas tecnologias.

A segunda edição em 2019 do evento teve mais de 3500 participantes entre hackers, bizdevs, mentores, ativadores, palestrantes, pesquisadores, expositores, voluntários, apoiadores, comunidades de tecnologias, sendo mais de mil inscrições para participar dos Hackathons.

Richard Hollanda

Richard Hollanda

Analista de Comunicação e Tecnologia do Sistema OCB/RJ. Graduado em Jornalismo pela Universidade Veiga de Almeida (UVA) e pós-graduado em Administração em Marketing e Comunicação Empresarial pela UVA.

Você também pode gostar de:

Destaques