Técnicas de apresentação e oratória são temas de curso do Sescoop/RJ

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Desenvolver habilidades para melhorar a comunicação interpessoal, tanto na apresentação de ideias quanto em uma reunião em equipe. Esta foi a proposta do treinamento Técnicas de Apresentação e Oratória promovido pelo Sescoop/RJ em sua sede, nos dias 5 e 6 de novembro, e que reuniu cerca de 30 cooperados, além de colaboradores do Sistema OCB/RJ.

A capacitação teve duração de 16 horas e foi conduzida pelo professor do Ibmec, da Universidade Federal Fluminense, da Fundação Dom Cabral e da Coppead/UFRJ, Guilherme Miziara, que é jornalista, Mestre em Sistemas de Gestão, especialista em Comunicação Empresarial e possui MBA em Estratégia.

Ao longo de dois dias foram abordados tópicos como Barreiras à comunicação, Cenários possíveis em uma reunião, Preparação do conteúdo de acordo com a audiência, Contato Visual, Estrutura de Apresentação e do Discurso (organização de ideias), Influência, Comunicação com audiovisual – como destacar os pontos relevantes, Engajamento e interesse, Argumentação estratégica, Voz, eloquência e vícios de linguagem, Movimentação no ambiente e Oratória.

Em entrevista à Comunicação do Sistema OCB/RJ, Guilherme Miziara destacou que para fazer uma boa apresentação, é necessário ter autoconhecimento. Confira a entrevista abaixo.

Como surgiu seu interesse em buscar uma especialização em comunicação e oratória?

Tinha muitas dificuldades na época de colégio de fazer apresentações e, na faculdade, percebi que muitos professores também tinham dificuldades em passar o conteúdo. Entendi que a minha dedicação é que faz a diferença. Não é somente a aptidão! Muitas pessoas, de fato, têm aptidão, mas tendo a dedicação elas conseguem resultados mais expressivos.

Eu li muito sobre apresentações. E acredito que todo curso que faça você se mostrar, é importante. Portanto, o autoconhecimento é fundamental.

Tem algum palestrante ou comunicador que você tem como referência?

Tive bons professores na faculdade, e que são referência, como o Mário Sergio Cortella. Mas o ponto é sempre respeitar o seu estilo de comunicação. As pessoas servem como inspiração, mas tenho que entender o que cabe ou não cabe ao estilo. A pessoa deve ter o estilo próprio e trabalhar dessa própria forma. Importante é caprichar naquilo que você é muito bom!

Qual a importância de ter uma boa oratória, especialmente em um mercado de trabalho tão competitivo?

A oratória no mercado de trabalho é fundamental e cada vez mais exigida para o profissional. Comunicar (passar) essa ideia com qualidade é o fundamental. Comunicar ideias, influenciar pessoas, liderar grupos é algo que nós podemos fazer.

Existem pessoas com diferentes perfis: algumas inibidas, outras extrovertidas… Pensando em apresentação, o que diria a cada uma delas?

A pessoa extrovertida tem mais facilidade, mas isso não garante uma boa comunicação. O tímido costuma se preparar melhor. Costumo dizer que quanto mais organizada a estrutura, melhor são as chances de comunicar com a qualidade. O frio na barriga existe, mas isso não pode cair no pânico. Quanto melhor se preparar para uma apresentação, de acordo com o público, mais são as chances do resultado ser positivo.

Qual dica você daria para quem vai iniciar uma carreira como palestrante?

Primeiro estudar bastante, e escolher cursos que sejam interessantes para o seu comportamento e ficar mais à vontade na apresentação…Conhecimento e treinamento

Bruno Oliveira

Bruno Oliveira

Analista de Comunicação e Tecnologia do Sistema OCB/RJ Formado em Comunicação, com habilitação em Jornalismo. Pós-graduado em Marketing e Comunicação Empresarial.

Você também pode gostar de:

Destaques