Dia Internacional das Cooperativas de Crédito é celebrado em 17 de outubro

Serviço local. Alcance global” é o tema escolhido pelo Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (DICC) para o Dia Internacional do Cooperativismo de Crédito de 2019, comemorado na terceira quinta-feira do mês de outubro. A data, que este ano é celebrada hoje, dia 17, foi instituída há mais de 70 anos para relembrar a trajetória e as conquistas das cooperativas do ramo e promover a essência do poder transformador de realidades que o modelo cooperativista confere ao sistema financeiro.

Com um conjunto de produtos e serviços atraentes e preços e taxas competitivos, o ramo vem conquistando cada dia mais adeptos e se destacando com números mais expressivos, ano após ano, em todo o mundo. Por isso, o cooperativismo de crédito está cada vez mais em destaque no Sistema Financeiro Nacional, devido às suas características de um atendimento personalizado, democrático e próximo com os cooperados.

Atualmente, o Brasil tem 909 cooperativas de crédito, que contam com 9,8 milhões de cooperados, empregam mais de 67 mil pessoas e movimentaram R$ 190,4 bilhões em 2018. O segmento mantem tendência de crescimento e os depósitos totais somaram, ao final de 2018, mais de R$ 124 bilhões aumento de 18,6% em relação a dezembro de 2017.

Vantagens sobre o sistema convencional
Conta corrente, cartões de crédito e de débito, operações diversas, financiamentos, linhas de crédito e muitos outros serviços. As cooperativas guardam semelhanças com os bancos comerciais, mas os diferenciais que contam a favor do sistema cooperativo são significativos.

Os usuários das linhas de crédito se beneficiam de taxas diferenciadas e da redução de tarifas, sem falar das aplicações e de sua rentabilidade atrativa. Assim como o SFN, o sistema cooperativo de crédito é assegurado por um fundo garantidor constituído nos moldes no Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que atende os bancos convencionais. Por terem diferentes atuações, o Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop) e o FGC são independentes, mas compartilham a mesma cobertura de R$ 250.000,00 por CPF ou CNPJ.

Outro grande diferencial do cooperativismo de crédito é o retorno do investimento. Os usuários são donos da instituição financeira, têm participação nos resultados e, ao contrário dos bancos convencionais, os recursos são investidos nas próprias regiões em que as cooperativas estão inseridas. Assim, as empresas, pessoas e negócios da própria região se beneficiam do atendimento financeiro, proporcionando um fôlego real à economia local.

Bruno Oliveira

Bruno Oliveira

Analista de Comunicação do Sistema OCB/RJ. Formado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte, MBA em Marketing e Comunicação Empresarial e em Comunicação e Marketing em Mídias Digitais.